A importância do encontro presencial

autora: Ana Carolina Siqueira

Com o avanço da pandemia da COVID-19 as instituições de ensino e ambientes corporativos tiveram suas rotinas bruscamente alteradas. Os encontros presenciais foram substituídos por encontros virtuais e o EAD passou a ser o novo desafio da educação brasileira. Neste cenário de futuro incerto, cada vez mais nos distanciamos, sem previsão para que encontros presenciais voltem a acontecer. A formação atual de professores esbarra justamente na questão virtual, cada vez mais o mercado exige que o docente tenha uma formação tecnológica, e com a pandemia isso ficou ainda mais evidente e necessário. Professores que dominam a tecnologia têm se destacado pela diversidade de conteúdo oferecido, bem como a qualidade da produção que desperta o interesse no aluno em continuar estudando por meio de aulas assíncronas ou síncronas. Porém, o sistema de educação brasileiro ainda caminha devagar no sentido em que toda sua estrutura, que deveria ser norteada pela BNCC, mas na prática isso ainda não acontece. As escolas privadas saem novamente na frente por já utilizarem recursos tecnológicos, o que nos leva a questionar sobre as bases da educação pública e a importância das escolas públicas darem mais atenção ao que acontece no EAD. Através da Portaria Nº 544, de 16 de Junho de 2020, e suas atualizações, o Ministério da Educação tem trabalhado para que alunos e professores consigam desenvolver seus trabalhos, mesmo que de forma remota, possibilitando o estágio na modalidade online. Assim, alinhado com o Governo Federal, o Estado de Minas Gerais publicou uma “Autorização para a realização de estágio remoto nas Escolas Estaduais – Durante o estado de calamidade pública.” Outra medida importante foi a abertura de crédito de R$ 204 milhões para a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) — vinculada ao MEC e que gerencia 40 hospitais universitários — e R$ 57 milhões ao Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA). Os valores são para compra de remédios, de materiais, como luvas, máscaras, álcool em gel, camas para leitos e ventiladores pulmonares, por exemplo. Ainda assim, são medidas de emergência, que não cobrem de forma satisfatória todo o conteúdo que os alunos teriam que aprender, apenas suprem pequenas lacunas rumo a resolução dos problemas causados pela pandemia. Por mais que sejam significativos para os estudantes de medicina em residência, este número ainda é baixo para salvar vidas no país inteiro.

Em meio a atual crise do sistema capitalista, agora agravada pela crise sanitária mundial trazida à tona pela pandemia do Covid-19, um dos impactos gerados no âmbito educacional é o aumento vertiginoso da pressão no setor público e privado pela implantação da EaD em praticamente todos os níveis da educação básica e superior. (DE FRANÇA FILHO, Astrogildo Luiz; DA FRANÇA ANTUNES, Charlles; CAMPOS COUTO, Marcos Antonio. P. 1)

No ambiente corporativo, em que as reuniões foram substituídas por videochamadas, as relações pessoais também ficaram distantes, o que pode afetar no rendimento do trabalho. O novo cenário virtual que se abriu tanto para escolas quanto para empresas vem acompanhado de uma série de desafios, pois ainda que online, tratamos de um público humano que sofre suas questões pessoais ao enfrentar a pandemia da COVID-19.

A forte mudança na economia do Brasil que a pandemia trouxe afetou o relacionamento das empresas, fato que podemos observar no alto número de demissões, reduções de funcionários e queda da produção. Levando para o ambiente virtual aqueles mais preparados.

Em um ambiente nacional incerto os encontros presenciais que são de suma importância em uma graduação ou em um ambiente de trabalho foram deixados de lado. Afinal, as leis cada vez mais duras para que as pessoas não saiam de casa afetam principalmente os que as cumprem rigorosamente. Atualmente, vários estados encontram-se na chamada “onda roxa”, ou seja, os números de casos de infecção pelo coronavírus têm aumentado, assim arrastando por mais tempo este período em que encontros só acontecem de maneira virtual. O principal questionamento do momento é sobre quando iremos voltar a nos reunir presencialmente, tanto em faculdades e escolas quanto em empresas. Quando todos os brasileiros serão imunizados?

Por enquanto, a importância de encontros presenciais é uma discussão que ainda está, ironicamente, no meio virtual. Toda uma estrutura de trabalho teve que ser alterada para que a qualidade de produção e da educação continuem a mesma, mas não é o que acontece, devido a vulnerabilidade psicológica da população como aponta o estudo de psicologia intitulado “COVID-19: emergência e impactos na saúde e no trabalho” de Roberto Moraes Cruz; Jairo Eduardo Borges-Andrade; Daniela Campos Bahia Moscon; Marcos Ricardo Datti Micheletto; Germano Gabriel Lima Esteves; Paola Barros Delben; Fabiana Queiroga e Pedro Augusto Crocce Carlotto.

Vivemos uma situação de crise e emergência, com reflexos sociais, econômicos e na saúde física e mental das populações, especialmente as mais vulneráveis. As políticas e ações governamentais dedicam-se às possibilidades de contenção e mitigação dos efeitos biológicos e letais da doença. Em situações de confinamento e isolamento condicionados à pandemia, é saliente a necessidade de promoção de ações voltadas ao comportamento seguro, com destaque para o cumprimento de regras e ao autocuidado. Entretanto, constatamos neste momento de enfrentamento à contaminação, a proliferação problemas na saúde mental das pessoas (Brooks et al., 2020 P. )

Para o ser humano enquanto ser sociável, é uma missão árdua permanecer em isolamento. Por isso, encontros presenciais são de grande importância na vida profissional de todos, por exemplo, um trabalho em grupo em uma graduação de licenciatura, é uma necessidade para que os alunos aprendam a lidar com a docência, desenvolvendo suas primeiras habilidades e experiências em sala de aula. Matérias para um estudante de medicina também são indispensáveis para formar médicos capazes de realizar diagnósticos corretos através do contato com seus pacientes.

Encontros presenciais ainda são muito importantes e todos esperam que logo voltem a acontecer, pois é fator decisivo para algumas questões de aprendizagem no caso das graduações e também indispensável em um ambiente corporativo em que diversas pessoas trabalham por algo em comum. O que nos resta agora, diante de vários estudos sobre o tema que têm surgido, é achar a melhor maneira de substituir o presencial, por enquanto, e pressionar para que a vacina chegue logo a todo povo brasileiro. Pois diversas pessoas a esperam para dar continuidade no que fazem.

BRASIL. Lei n. 14.040 de 18 de Agosto de 2020. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2020/Lei/L14040.htm>. Acesso em: 05 de mar. 2021

BRASIL. Medida Provisória n. 934, de 1 de Abril, 2020. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2020/mpv/mpv934.htm#:~:text=MPV%20934&text=Estabelece%20normas%20excepcionais%20sobre%20o,6%20de%20fevereiro%20de%202020.>. Acesso em: 05 de mar. 2021

CRUZ, Roberto Moraes et al . COVID-19: emergência e impactos na saúde e no trabalho.Rev. Psicol., Organ. Trab., Brasília , v. 20,n. 2,p. I-III,jun.2020 . Disponível em <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1984-66572020000200001&lng=pt&nrm=iso>. acessos em 09 abr. 2021. http://dx.doi.org/10.17652/rpot/2020.2.editorial.

DE FRANÇA FILHO, Astrogildo Luiz; DA FRANÇA ANTUNES, Charlles; CAMPOS COUTO, Marcos Antonio. Alguns apontamentos para uma crítica da EaD na educação brasileira em tempos de pandemia. Revista Tamoios, [S.l.], v. 16, n. 1, maio 2020. ISSN 1980-4490. Disponível em: <https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/tamoios/article/view/50535/33468>. Acesso em: 07 mar. 2021. doi:https://doi.org/10.12957/tamoios.2020.50535 BRASIL. Ministério da Educação. Ofício cOcio SEE/EFP-C. CERT. OCUPACIONAL nº. 30/2021. Belo Horizonte, MG: Ministério da Educação, 21 mar. 2021. Disponível em: [ file:///D:/Downloads/SEI_GOVMG%20-%2026706494%20-%20Of%C3%ADcio%20Est%C3%A1gio%20Remoto%20(1).pdf ] Acesso em: abril / 2021

Rolar para cima